Cooperativismo é instrumento de inclusão social, diz Rodrigues

O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, que participa na manhã de hoje das comemorações do Dia Internacional do Cooperativismo, em Brasília, disse que o cooperativismo é um instrumento de inclusão social, dentro de qualquer regime. "As cooperativas precisam ser competitivas e justas, mas sempre com a vertente social". Segundo ele, "o cooperativismo não é instrumento de mudança de regime, mas de mudança social". Rodrigues disse, ainda, que "o duro no cooperativismo é manter a cabeça grudada no corpo, pois da porta para dentro da cooperativa todos têm de ser iguais".O ministro, que está acompanhado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na sede da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), afirmou em seu discurso que 40% da população do planeta está ligado a algum tipo de cooperativa o que, segundo ele, é um número muito maior do que o que se reúne em uma religião. O ministro afirmou também que o cooperativismo é mais desenvolvido em países como Estados Unidos, Canadá e Japão, pois considera que o ato cooperativo é uma questão de educação e depende de pessoas preparadas e motivadas.Ele observou que durante a gestão do presidente Collor de Mello este optou pela extinção de todas as associações ligadas ao governo, que regulamentavam a questão do cooperativismo. A extinção dessas associações foi feita com base num artigo da Constituição de 1988, no qual o Estado ficava proibido de interferir no cooperativismo.Outro artigo da constituição, no entanto, determinava que do governo estimulasse o cooperativismo, por isso, disse Rodrigues, houve articulação junto ao então ministro da Agricultura, Antonio Cabrera, que resultou na criação do Departamento Nacional do Cooperativismo (Denacoop). O Denacoop, completou o ministro, é responsável por implementar as ações do grupo de trabalho criado pelo presidente Lula há um ano.Discurso emocionadoRodrigues fez um discurso emocionado. Ele afirmou que sente saudades de cada canto e de cada pessoa com os quais trabalhou quando presidia a Organização das Cooperativas Brasileiras. Ao começar seu discurso, bastante emocionado, Rodrigues citou trechos de do poema "Volta ao lar paterno", do poeta Luiz Guimarães Junior. O poema relata a volta de uma ave à casa dos pais, depois de um longo período.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.