'Copa do Mundo e Jogos Olímpicos dão esperanças', diz especialista

Os olhos do mundo estarão voltados para o Brasil em virtude da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos. Tamanha visibilidade, acredita Marcelo Picka Van Roey, do Senac, deve impactar na procura hoteleira do País.

O Estado de S.Paulo

29 de agosto de 2012 | 03h08

O especialista ressalta que o empresário deve torcer pelo sucesso na organização dos eventos. "Se tudo der certo, temos tudo para viver um novo momento na atração de turistas e, assim, manter os novos hotéis e albergues em plena utilização".

Apostar no sucesso dos próximos grandes eventos é o que tem feito o empresário Guilherme Perez. Ele investiu R$ 150 mil para inaugurar, no início de setembro, o We Hostel Design.

O empreendimento, uma casa de quase 500 metros quadrados do início do século localizada na Vila Mariana, explora recursos arquitetônicos e decorativos para atrair jovens dispostos a gastar. "Acredito nesse mercado. O Brasil tem um potencial turístico enorme e os grandes eventos ainda vão trazer muita publicidade", afirma.

O albergue de Perez está posicionado a poucos metros de um concorrente já estabelecido na região. O empresário, no entanto, diz que não se preocupa. "Eu proponho algo diferente, um hostel para quem se interessa por design e topa pagar mais caro por isso", diz ele, que no primeiro momento cobrará entre R$ 53 para a opção mais em conta a R$ 150 para o quarto de casal privativo.

Para Deborah Cavaliere, do Sampa Hostel, a Copa do Mundo deve movimentar o turismo local, mas a empresária não está disposta a fazer investimentos para o evento. "São poucos dias. Prefiro sentir a demanda e investir caso necessário."

Estrangeiros

Segundo dados do Ministérios do Turismo, o Brasil recebeu, em 2011, 5,4 mil turistas estrangeiros. O número é praticamente o mesmo há seis anos.

A cidade de São Paulo é a principal porta de entrada desse contingente, respondendo por cerca de 65% do total.

Uma pesquisa conduzida no início do ano pela São Paulo Turismo (SPTuris) aponta que a maioria dos visitantes (40%) procuram a cidade por assuntos de trabalho e negócios.

Uma vez aqui, a gastronomia, os atrativos culturais e as opções de compras são os itens que mais agradam os turistas.

Sobre a Copa do Mundo, 91,8% dos estrangeiros responderam que pretendem voltar ao País para acompanhar o evento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.