Copa vai garantir metade do crescimento da Sony

Puxada pelos televisores, empresa deve crescer 16% este ano no País; investimento no Mundial foi de R$ 500 milhões

Márcia de Chiara, O Estado de S.Paulo

05 de junho de 2014 | 02h06

Metade do crescimento de vendas esperado pela Sony no Brasil neste ano virá de produtos relacionados à Copa do Mundo. Entre marketing, pesquisas e aumento da capacidade das fábricas para produzir televisores, smartphones e o Playstation, a empresa gastou R$ 500 milhões na Copa.

"Há três anos estamos estudando o consumidor brasileiro para sermos mais competitivos", afirma o diretor de marketing, Carlos Paschoal. Sem revelar números, ele diz que o retorno do investimento no evento, no qual a empresa é uma das patrocinadoras oficiais, está sendo muito positivo.

Entre televisores, filmadoras profissionais, câmeras fotográficas, smartphones, a filial brasileira deve fechar o ano com crescimento de 16% nas vendas em relação a 2013. Desse total, metade será por conta da Copa e 60% resultam da venda de TVs.

De janeiro a julho, a empresa se preparou para expandir em 40% as vendas de TVs em relação a 2013. Em abril, o mercado andou em ritmo lento, em maio deu uma melhorada. E, nas duas últimas semanas, os resultados surpreenderam, diz ele.

Parte do atraso do brasileiro na compra de TVs para a Copa ocorreu por causa da própria conjuntura apontada pela queda em vários índices de confiança do consumidor. Mas, na avaliação de Paschoal, atraso também houve em outras Copas.

Pesquisas mostram que, em Copas passadas, as vendas de TVs se aceleraram na reta final para o início do evento. Além disso, o executivo ressalta que o brasileiro é um dos consumidores mais críticos na hora de escolher o produto. "Fizemos uma pesquisa com 2,5 mil pessoas e constatamos que ele demora, em média, 52 dias até concretizar a compra de uma TV nova. O brasileiro vai, em média, cinco vezes ao ponto de venda."

A grande aposta da companhia para esta Copa é o televisor 4k, cuja resolução da imagem é quatro vezes superior à de uma TV de alta definição (HD). Mas o preço desse aparelho é salgado: uma TV 4K de 65 polegadas sai por R$ 26 mil. Por isso, os campeões de vendas em volume são aparelhos mais baratos, de alta definição, de 40 e 46 polegadas, que custam entre R$ 1,9 mil e R$ 2,6 mil. Esses televisores têm funções específicas para assistir aos jogos: vêm com tecla que permite tirar a narração e captar o som da torcida.

Marca. A estratégia da companhia de patrocinar o maior evento mundial de futebol, o esporte mais popular do País, faz parte de um plano maior da Sony que, em 2010, decidiu atrair compradores da nova classe média brasileira, sem deixar de lado um público tradicional, com maior poder aquisitivo.

Os dados revelam que a meta foi atingida. Pesquisas sobre a lembrança da marca mostram que a Sony foi citada em primeiro lugar por 73% dos entrevistados em 2011. Neste ano, o resultado subiu para 82%. Paschoal lembra que, só por conta do marketing da Copa, a Sony vai levar 6,2 mil pessoas aos estádios e reuniu 1,4 milhão de usuários em sua rede social.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.