Copel diz que rompimento de contrato não é "fato consumado"

A Companhia Paranaense de Energia (Copel) afirmou hoje que não há "fato consumado", mas apenas uma possibilidade de rompimento de contratos da empresa com a Cien e a Usina Elétrica a Gás de Araucária (UEG). "Os contratos acham-se sob análise da diretoria da Copel, que tem discutido seus termos com as partes envolvidas", afirmou o presidente da estatal, Paulo Pimentel. "Já nos reunimos algumas vezes com os parceiros desses contratos, mas ainda não temos uma posição definitiva."O diretor de Finanças da Copel, Ronald Ravedutti, disse que a suspensão do pagamento dos contratos não atinge apenas esses da Copel, mas vários outros da gestão anterior. "A suspensão do pagamento é uma medida necessária para que possamos examinar tais compromissos com o devido zelo", afirmou.A direção da UEG Araucária disse que a empresa não recebeu informe oficial sobre suspensão de contrato de compra de energia. "A El Paso e a Petrobras esperam que a Copel cumpra os contratos por ela firmados", disse a empresa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.