Copel é divida em cinco subsidiárias

Os acionistas da Companhia Paranaense de Energia (Copel) formalizaram ontem a divisão da estatal em cinco novas empresas a partir do próximo ano. A divisão é uma forma de adaptar a concessionária às determinações da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Dentro do modelo proposto, a Copel foi dividida nos setores de geração, transmissão, distribuição, telecomunicações e gerenciamento de participações em outros empreendimentos. A Copel terá o controle total das cinco empresas que serão criadas.Segundo o presidente da Copel, Ingo Hübert, a intenção da Aneel é assegurar total clareza e plena transparência nas relações comerciais, inclusive separando ativos e contabilidade de cada uma das empresas que atuam na produção, transporte e distribuição de energia. "Isso vai garantir ao consumidor que as tarifas cobradas espelhem com fidelidade toda a cadeia de custos", declarou.Embora a diretoria da Copel negue, a divisão também visa a preparar a empresa para a privatização, que pode ocorrer dentro de um ano. Desde o anúncio de que a empresa seria vendida, ela vinha se adaptando às exigências da Aneel, dividindo-se informalmente em três unidades de negócio: geração, transmissão e distribuição.

Agencia Estado,

28 de dezembro de 2000 | 19h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.