Copene terá preço mínimo ou vinculante divulgado

O diretor de Finanças Públicas e Regimes Especiais do Banco Central, Carlos Eduardo de Freitas, disse que foi decidido publicar o preço mínimo ou vinculante de venda do controle acionário da Companhia Petroquímica do Nordeste (Copene). "Resolvemos fazer isso porque a idéia anterior de não divulgar o preço vinculante não deu certo. Esperávamos aumentar a concorrência com essa estratégia, mas isso não ocorreu", afirmou.Ele lembrou que no último dia 14 de dezembro a primeira tentativa de venda das ações da Copene em leilão fracassou porque apenas o Grupo Ultra apresentou a proposta de compra e, ainda assim, a um preço abaixo do vinculante. Freitas também informou que já na próxima semana o data room da Copene será aberto à visitação dos interessados em participar do leilão. "Pode ser que o data room seja reaberto no dia 12. Não sei ainda", afirmou. Ele ainda comentou que a publicação do edital de venda da Copene não será mais feita no dia 12 de fevereiro, como estava previsto anteriormente. "Não teremos tempo para publicação do edital no dia 12, mas ele sairá até o final de fevereiro", informou Freitas. Sobre o leilão, o diretor do BC voltou a dizer que ele será feito em março, mas ressaltou que ainda não há uma data exata para a realização da nova tentativa de venda das ações da Copene. Ele ressaltou ainda que as propostas dos interessados em comprar as ações da Copene continuarão tendo que ser entregues em envelope fechado. "Isto será mantido", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.