Copersucar cria joint venture com grupo de Dubai

Expectativa é de que nova empresa exporte 5 milhões de toneladas de açúcar e 600 milhões de litros de etanol

Eduardo Magossi, O Estado de S.Paulo

21 de janeiro de 2011 | 00h00

A Copersucar anunciou a criação de uma joint venture com o grupo JAG-Jamal Al-Ghurair, de Dubai, para contratar e gerenciar o transporte marítimo de açúcar. A expectativa é de que a nova empresa, chamada Copa Shipping Company, exporte 5 milhões de toneladas de açúcar e 600 milhões de litros de etanol no primeiro ano de atividade.

A joint venture possui participação de 50% da Copersucar e 50% do grupo JAG. "Acreditamos que, em três anos, estaremos gerenciando a exportação de 8 milhões de toneladas", afirmou o presidente executivo da Copersucar, Paulo Roberto de Souza.

A nova empresa vai permitir que a Copersucar amplie suas exportações de açúcar bruto a granel. O grupo JAG tem a maior refinaria do mundo, a AKS, em Dubai, com capacidade de refino de 2 milhões de toneladas/ano.

Com a união, a Copersucar vai investir na ampliação de seus terminais de recebimento de açúcar no Porto de Santos. No total, serão investidos cerca de R$ 400 milhões em logística em 2011 e 2012. Hoje, a Copersucar tem três terminais para exportação de açúcar ensacado (refinado ou cristal) e dois para exportação a granel (demerara).

"Vamos transformar um desses terminais de açúcar ensacado para açúcar a granel", explica o presidente do Conselho de Administração da Copersucar, Luís Roberto Pogetti.

Segundo ele, a tendência é de que as exportações de demerara aumentem. "É mais racional que o açúcar seja refinado localmente. Além disso, nossa parceira na Copa é dona de uma grande refinadora, a AKS", explica. A expectativa é de que 75% das exportações da Copersucar sejam de açúcar demerara e somente 25% de refinado.

Para obter recursos para a expansão de seus projetos, Pogetti disse que a empresa analisa "várias formas de captação". O executivo não descarta a possibilidade de a empresa abrir o capital na Bovespa. "É uma opção, mas vai depender de nossos estudos", afirma.

Novas associadas. A Copersucar S/A também anunciou a entrada de seis novos sócios já a partir da próxima safra, 2011/12. As novas usinas vão agregar à empresa um volume de açúcar e de etanol equivalente a 10 milhões de toneladas de cana-de-açúcar. As novas associadas são três unidades do Grupo Virálcool, Usina Pitangueiras, Usina Caçu e a Decal-Usina Rio Verde.

Com a entrada da Caçu e a Decal, a Copersucar marca sua estreia no Estado de Goiás, que vem registrando grande crescimento no processamento de cana-de-açúcar. A Copersucar já está presente em São Paulo, Minas e Paraná.

Pogetti afirma que, com os novos parceiros, a Copersucar passa a ter 48 usinas associadas e deverá comercializar na safra 2011/12 o equivalente a 135 milhões de toneladas de cana, com uma receita estimada de R$ 14 bilhões. Na safra 2010/11, a receita foi de R$ 11 bilhões.

Com a entrada de mais seis usinas, a Copersucar passa a ter, na safra 2011/12, 22% da moagem de cana do Centro-Sul. O mix de produção da empresa também fica açucareiro. "Algumas empresas que se associaram produzem mais açúcar e isto alterou o nosso mix", disse o presidente, Paulo Roberto de Souza.

Na safra 2010/11, as usinas da Copersucar destinaram 55% da cana para produzir etanol e 45% para açúcar. Na nova safra, já com a incorporação das seis novas usinas, 47% da cana irá para a produção de açúcar.

Souza afirma que, com os novos sócios, a Copersucar comercializará 8,1 milhões de toneladas de açúcar na safra 2011/12, crescimento de 27% ante 6 milhões de toneladas na safra anterior. O volume de etanol a ser comercializado será de 5,2 bilhões de litros, expansão de 25% ante 3,8 bilhões na safra 2010/11.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.