Copersucar investe R$ 150 mi em novo terminal de etanol

Recurso faz parte do pacote de R$ 2 bilhões que empresa pretende investir até 2015 em projetos logísticos

EDUARDO MAGOSSI, O Estado de S.Paulo

21 de março de 2012 | 03h05

A produtora de açúcar e álcool Copersucar vai investir R$ 150 milhões na construção de um terminal de etanol em Paulínia (SP), com capacidade de armazenamento de 360 milhões de litros. O terminal ficará pronto na safra 2013/14, a tempo de receber os primeiros embarques de etanol vindos do interior paulista pelo alcoolduto da Lógum, empresa que reúne os principais produtores de biocombustíveis do País, incluindo a própria Copersucar.

O recurso faz parte do pacote de R$ 2 bilhões que a Copersucar pretende investir até 2015 em projetos logísticos, como expansão de capacidade de armazenagem no Terminal Açucareiro Copersucar (TAC), no Porto de Santos, construção de outros pontos de captação de açúcar e etanol no interior e mesmo os aportes feitos na Lógum, onde a empresa participa diretamente com uma fatia de 20% - as outras sócias são a Raízen, Petrobrás, Odebrecht, Camargo Corrêa e Uniduto (empresa da qual a Copersucar também é sócia).

Segundo o presidente executivo da Copersucar, Paulo Roberto de Souza, o terminal para etanol de Paulínia entrará em operação em conjunto com o primeiro trecho do alcoolduto da Lógum, entre Ribeirão Preto (SP) e Paulínia, na safra 2013/14. Na primeira fase, a capacidade de armazenagem será de 180 milhões de litros. "Queremos ter um fluxo de 1 bilhão de litros por ano", disse Souza. O terminal vai receber o combustível que será comercializado na região da capital paulista, o maior centro consumidor do produto do País.

Com investimentos de R$ 6 bilhões, o projeto de alcoolduto da Lógum deve percorrer 1,3 mil quilômetros, atravessando regiões dos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso. Segundo Souza, depois da entrega do trecho entre Ribeirão Preto e Paulínia, o próximo trecho a ser concluído será entre Uberaba (MG) e Ribeirão Preto, que já se encontra em fase de início de construção.

Alguns trechos terão, contudo, as obras postergadas, em função da menor oferta de etanol registrada neste momento. "A quebra da safra de cana fez com que a produção de etanol fosse menor que o esperado e o etanolduto terá suas obras ajustadas ao crescimento da oferta do combustível", afirma.

Mercado externo. A Copersucar deverá exportar cerca de 720 milhões de litros de etanol na safra 2012/13, mesmo volume embarcado na safra anterior, segundo Souza. De acordo com o executivo, a expectativa é de que o Brasil exporte 2 bilhões de litros na próxima safra, dos quais a Copersucar deverá representar cerca de um terço.

"Na safra passada, metade das exportações de etanol da Copersucar foi para atender contratos de longo prazo que temos com o Japão", disse. De acordo com ele, o mesmo volume deve se repetir na safra atual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.