Copesul é uma das 20 melhores da década do Real, diz FGV

A Companhia Petroquímica do Sul (Copesul) anunciou hoje que é uma das 20 melhores empresas da década do Real, conforme ranking feito pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). A distinção foi concedida com base em quatro critérios de desempenho empresarial, e a seleção da FGV será publicada na próxima edição da revista de economia e negócios ?Expressão?. Além da Copesul, outros nove grupos gaúchos integram o ranking das 20 melhores da década. Em comum têm o fato de apresentarem no período uma média de rentabilidade sobre o patrimônio líquido mínima de 6%, ter registrado apenas um ano com prejuízo, integrar pelo menos oito dos dez rankings elaborados pela FGV desde 1993 e apresentar a melhor classificação média dentro de seu setor de atuação. A Copesul, neste período, apresentou rentabilidade média sobre o patrimônio líquido de 6,92% e registrou apenas um resultado negativo, em 2002. A companhia é uma associação entre a Braskem (29,46%), Ipiranga Petroquímica (29,46%) e Petroquisa (15%). Os minoritários compõem bloco de 26,08% das ações ordinárias. A companhia é a central de matérias-primas do pólo petroquímico de Triunfo, tem capacidade instalada para produzir 1,135 milhão t/ano de eteno, principal derivado da nafta, usado na produção de químicos industriais e dos plásticos polieitleno, poliestireno, policloreto de vinila e outros.

Agencia Estado,

24 Julho 2003 | 16h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.