Copom aumenta os juros para 21%

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) decidiu hoje, em reunião extraordinária, aumentar a taxa Selic, a taxa básica da economia brasileira, de 18% para 21% ao ano, sem viés. Todos os diretores do BC participaram da reunião, que foi feita por teleconferência. A próxima reunião ordinária do Copom acontece nos dias 22 e 23 deste mês. E, como não foi estabelecido nenhum viés, qualquer nova alteração na Selic terá que ser tomada em nova reunião do Copom ? seja na dos dias 22 e 23, seja em outra reunião extraordinária. (Quando é estabelecido viés, de alta ou de baixa, o presidente do BC pode, a qualquer momento, alterar a taxa, desde que na direção apontada pelo viés.)Com a decisão de hoje, a taxa Selic volta ao patamar fixado na reunião de 23 de junho de 1999. Naquela ocasião, o Copom reduziu os juros de 22% para 21% e adotou o viés de baixa.A reunião de hoje foi a primeira extraordinária a acontecer durante a gestão de Armírio Fraga no BC. Sob seu comando, as decisões sobre corte ou elevação nos juros sempre haviam sido tomadas nas reuniões mensais do Copom, ou pelo uso da prerrogativa do viés - inclusive a elevação da taxa Selic de 25% para 45% logo após a sua posse em março de 1999. Outra grande elevação do Copom aconteceu no dia 10 de setembro de 1999, com o BC sob o comando de Gustavo Franco. Naquele dia, foi decidida uma elevação de 20 pontos percentuais na taxa Selic, de 29,75% ao ano para 49,75%.Segundo o BC, as duas únicas reuniões extraordinárias realizadas antes da de hoje aconteceram em 30/10/97 e 10/9/98. Nas duas ocasiões, os aumentos da taxa foram fortíssimos. Na reunião de 1997, os juros foram elevados de 20,7% para 43,4%. E na de 98, os juros subiram de 29,75% para 49,73%. A reunião realizada em 4 de março de 1999, quando o Copom subiu os juros para 45% (com viés de baixa), foi uma reunião ordinária. Confira a seguir a íntegra do comunicado divulgado pelo Copom sobre a sua decisão:"O recente aumento de preços e a piora nas expectativas de inflação, decorrentes principalmente da depreciação acentuada do câmbio, levaram o Copom, em reunião extraordinária, a fixar a taxa Selic em 21% ao ano. A decisão foi por unanimidade."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.