Copom diz atuar sobre cenário prospectivo de inflação

Visando atuar sobre a perspectiva dainflação a fim de garantir previsibilidade aos agenteseconômico e ressaltando o impacto da força da demanda domésticasobre os preços, o Comitê de Política Monetária (Copom) elevoua taxa de juro neste mês e disse que continuará atuando com"prudência", segundo a ata da última reunião. "A atuação da política monetária tende a ser mais efetiva,atingindo seus objetivos com maior rapidez, quando adeterioração da dinâmica inflacionária está em seus estágiosiniciais, do que quando esta se encontra consolidada", disse oCopom, no documento divulgado nesta quinta-feira. O comitê ressaltou que seus movimentos terão impactosobretudo no segundo semestre deste ano e em 2009. "Dessa forma, a avaliação de decisões alternativas depolítica monetária deve concentrar-se, necessariamente, naanálise do cenário prospectivo para a inflação e nos riscos aele associados, em vez de privilegiar os valores correntes." Nas últimas semanas, as expectativas de inflação do mercadopara este ano e o próximo vêm aumentando, inclusive superando ocentro da meta de 2008. A inflação corrente também vem semantendo pressionada, mas sobretudo devido a fatores sazonais eaumentos de alimentos. "Visando consolidar um ambiente de estabilidade eprevisibilidade, o Copom adota uma estratégia que procuraevitar uma trajetória inflacionária volátil... A prudênciapassa a ter papel ainda mais importante, nesse processo",acrescentou o documento. Na semana passada, o Copom surpreendeu parte do mercado comuma alta mais agressiva da taxa Selic, em 0,50 pontopercentual, para 11,75 por cento. Na ocasião e também agora na ata, o Banco Central disse quea decisão de fazer já "parte relevante" do ajuste contribuirápara reduzir a magnitude do ajuste total a ser implementado. PREOCUPAÇÕES A ata enfatizou a preocupação do BC com a demanda internaem vários momentos, além de prever que o aumento do crédito eda massa salarial real continuarão atuando como estímulos. "O ritmo de expansão da demanda doméstica, que devecontinuar sendo sustentado, entre outros fatores, pelastransferências fiscais e pelo crescimento da renda e docrédito, continua colocando riscos para a dinâmicainflacionária", afirmou o Copom. Os sinais de aquecimento da atividade alimentam o riscopara "a concretização de um cenário inflacionário benigno". "O Copom considera, também, que a persistência dedescompasso importante entre o ritmo de expansão da demanda eda oferta agregadas tende a aumentar o risco para a dinâmicainflacionária." O comitê do BC manteve em zero a previsão para o reajustedo preço da gasolina neste ano. O prognóstico para os preçosadministrados também foi mantido, em 4 por cento neste ano. (Reportagem de Vanessa Stelzer; edição de AlexandreCaverni)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.