Copom fez parada técnica no corte de juros, diz Bernardo

Para ministro do Planejamento, decisão foi movida por preocupações com a demanda e o mercado financeiro

FABIO GRANER, Agencia Estado

18 de outubro de 2007 | 13h54

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou nesta quinta-feira, 18, que a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de interromper o ciclo de queda da taxa básica de juros, a Selic, foi apenas uma "parada técnica", movida pela preocupação com a demanda interna e também com os problemas no mercado financeiro internacional.   Veja também: Paulo Bernardo defende controle de despesas correntes   "Mas temos condições para continuar com queda nos juros", afirmou, sem, no entanto, prognosticar a partir de quando seriam retomados os cortes na Selic. "Vamos aguardar a evolução do quadro. Tenho certeza que o BC vai avaliar com parcimônia, mas também com o objetivo de ajustar os juros ao nível internacional", justificou.   Na quarta-feira, o Comitê decidiu pela manutenção da taxa de juros em 11,25% ao ano, após dois anos de cortes seguidos.   Bernardo fez as declarações em entrevista após participação em audiência pública na Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional.

Mais conteúdo sobre:
CopomjurosPaulo Bernardo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.