Copom mostra que governo Lula começou a operar, avalia Heron

"O governo Lula, que até agora estava experimentando a cadeira, finalmente começou a operar", disse hoje o professor de economia da Universidade de São Paulo (USP) e coordenador do Índice de Preços da Fipe, Heron do Carmo, ao comentar a redução de 2,5 pontos porcentuais na taxa básica de juros, a Selic, que passou de 24,5% para 22% ao ano. "Sem dúvida nenhuma que é uma excelente notícia", diz Heron. Segundo ele, o Banco Central surpreendeu positivamente e o resultado disso será o desabamento das taxas de juros de longo prazo. "Estas, sim, têm a ver com a retomada da atividade econômica", diz o professor da USP. Para Heron, os bancos agora terão mudar suas estratégias de ganhos no curto prazo para o longo prazo. "Os bancos estão e vão continuar a reduzir suas taxas de juros porque estão percebendo que a equipe econômica do governo Lula não está para brincadeiras", disse.Na opinião do coordenador da Fipe, a redução da taxa básica de juros reflete uma decisão coerente com o discurso do governo, o qual dizia que tão logo fosse aprovada a reforma da Previdência as taxas de juros seriam reduzidas. Heron acredita que na reunião de setembro o BC deva promover mais um corte de 2 pontos porcentuais e, a partir de então, voltar a realizar cortes menores, entre 0,50 e 1 ponto porcentual para fechar o ano com uma taxa de juros de 18%. "Acredito que a idéia dos dirigentes do BC é reduzir a Selic para 18% ao fim deste ano para reduzir para abaixo de 10% a taxa de juros real e buscar a meta de 5% no decorrer de 2004", diz Heron do Carmo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.