Copom mostrou empenho do BC contra inflação, diz Tombini

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, explicou ontem a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central de elevar a taxa a Selic em 0,5 ponto porcentual, de 7,5% para 8,0% ao ano. Em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo, Tombini afirmou que os juros mais altos ajudarão a fortalecer a confiança de que o BC está atento e não abrirá mão do combate à inflação.

Agencia Estado

31 de maio de 2013 | 08h53

"O que nós queremos é que a queda se consolide e traga a inflação para um patamar mais baixo ao longo do tempo, não só neste ano como no ano que vem também", disse. "Então, o trabalho do Banco Central vem no sentido de fazer, por exemplo, com que os preços dos alimentos no atacado passem de forma mais clara, mais firme, para uma inflação menor no nível do consumidor", acrescentou.

De acordo com Tombini, "este remédio, os juros mais altos, para trazer a inflação para baixo, reforça a confiança nos pilares da economia brasileira, nos fundamentos da economia brasileira". Tombini acrescentou que "a confiança faz bem para o PIB". "Então, nós estamos trabalhando também ajudando a consolidar esse processo de recuperação gradual da economia brasileira." O presidente do Banco Central afirmou ainda que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro não deve crescer mais que 3,0% em 2013.

Tudo o que sabemos sobre:
TombinijurosJN

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.