Copom vai aumentar juro 'enquanto for necessário'

O Comitê de Política Monetária(Copom) do Banco Central vai manter "enquanto for necessário" ociclo de aperto do juro, iniciado em abril, para tentar trazera inflação de volta à trajetória traçada pelo governo. "O Comitê acredita que a atual postura de políticamonetária, a ser mantida enquanto for necessário, irá assegurara convergência da inflação para a trajetória das metas",afirmaram os diretores do BC na ata da última reunião do Copom,divulgada nesta quinta-feira. Na reunião da semana passada, o Comitê elevou a taxa básicade juro da economia brasileira --a Selic-- em 0,50 pontopercentual, para 12,25 por cento, em linha com as expectativasdo mercado. Foi o segundo aumento consecutivo da taxa. Mais uma vez, o Copom mostrou preocupação com o ritmo dademanda doméstica. Para os diretores do BC, a expansãoacelerada desta demanda continua sendo uma ameaça para ocontrole dos preços. "O ritmo de expansão da demanda doméstica, que devecontinuar sendo sustentado, entre outros fatores, pelocrescimento da renda e do crédito, continua colocando riscosimportantes para a dinâmica inflacionária", afirmaram osdiretores. O Comitê também deixou claro que está preocupado com apiora das expectativas de inflação. Como existe uma defasagementre a adoção de uma medida como o aumento do juro e seuefeito sobre a economia, essas expectativas são fundamentaispara garantir maior eficácia da política adotada pelo BC. "Nas atuais circunstâncias, existe o risco de que osagentes econômicos passem a atribuir maior probabilidade a queelevações da inflação sejam persistentes, o que implicariaredução da eficácia da implementação da política monetária",afirmaram os diretores do BC. Na avaliação do Comitê, as decisões tomadas pelo Copomterão "impactos concentrados" no segundo semestre deste ano eem 2009. A meta de inflação definida para 2008 indica que o ÍndiceNacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) poderá fechar oano com alta de 4,5 por cento, com uma margem de variação dedois pontos percentuais, para cima ou para baixo. Na quarta-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia eEstatística (IBGE) informou que a inflação medida pelo IPCA emmaio foi de 0,79 por cento, a maior alta para meses de maio em12 anos. No acumulado em 12 meses até maio, o IPCA registrou umaalta de 5,58 por cento, mais de um ponto percentual acima docentro da meta de inflação do ano. (Reportagem de Renato Andrade)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.