Coreana Shilla abrirá em São Paulo sua 1ª fábrica fora da Ásia

Empresa fornece peças para empresas como a GE e deve investir R$ 100 milhões na unidade, que vai gerar 200 empregos

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

28 de fevereiro de 2014 | 02h05

A fabricante de rolamentos sul-coreana Shilla Corporation anuncia hoje uma fábrica em Tietê, a 153 km da capital paulista. É a primeira unidade do grupo fora da Ásia, onde tem operações na Coreia e na China. O investimento total chegará a R$ 100 milhões e serão gerados cerca de 200 empregos em três anos.

Inicialmente, a empresa vai fornecer rolamentos de turbinas eólicas para a GE Power & Water, de Campinas. Hoje, o equipamento é importado. O objetivo, contudo, é expandir atuação para outros setores como equipamentos de construção, gruas marítimas e petróleo e gás.

Segundo Luciano Almeida, presidente da Investe São Paulo (agência de promoção de investimentos do governo paulista), a escolha pela pequena Tietê, com 40 mil habitantes, se deve à proximidade de dois importantes mercados consumidores - Campinas e Sorocaba -, e de rodovias de acesso, como Bandeirantes e Anhanguera.

As negociações da Investe São Paulo para trazer a empresa para o Estado começaram em maio do ano passado. A fábrica deve ser inaugurada no primeiro semestre de 2015, em uma área de 90 mil m². A primeira fase do investimento vai gerar 80 vagas e aporte de R$ 30 milhões.

Inauguração. Esse é o quarto anúncio de nova fábrica ou ampliação no Estado de São Paulo este ano. Com os projetos anunciados anteriormente da Agco (equipamentos agrícolas), Cast Futura (peças para fogão) e FMC (defensivos agrícolas), os investimentos somam R$ 230 milhões, com geração de 390 empregos.

Ainda não incluído nesta conta está o aporte de R$ 100 milhões que a Honda anunciou ontem para a construção de um centro de desenvolvimento de carros e componentes na fábrica do grupo em Sumaré.

Em todo o ano passado, São Paulo recebeu 24 novos projetos, que representam investimentos de R$ 5,75 bilhões e 10 mil empregos. Só a Honda anunciou uma nova fábrica, em Itirapina, que vai consumir R$ 1 bilhão. "Vamos continuar na busca por novos investimentos no Estado", diz Almeida. Ele acaba de voltar da China, onde se reuniu com potenciais investidores e promete novos anúncios para as próximas semanas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.