R$ 1,57 bi

E-Investidor: Tesouro Direto atrai mais jovens e bate recorde de captação

Coreia recusa frango brasileiro

País teria encontrado substância proibida em carga da Perdigão

Ana Paula Lacerda e Tatiana Freitas, O Estadao de S.Paulo

12 de março de 2009 | 00h00

O governo sul-coreano disse ter encontrado antibióticos proibidos num carregamento de frango congelado importado do Brasil, informou a agência de notícias Yonhap. O carregamento teria sido enviado pela Perdigão. Segundo o Serviço de Investigação Veterinária e Quarentena da Coreia do Sul (NVRQS, na sigla em inglês), vestígios da substância chloramphenicol foram achados num carregamento de 23,5 toneladas de carne de frango que chegou ao país em 3 de março. Segundo uma outra agência de notícias, a NVRQS pediu à Perdigão que suspenda novos envios até que a investigação seja concluída. A NVRQS teria dito ainda que todas as cargas que estiverem na alfândega serão analisadas.A Perdigão, no entanto, contestou as informações. Segundo a empresa, o chloramphenicol é um antibiótico proibido no Brasil desde 1998. A empresa afirmou que o composto não é utilizado em seu processo produtivo, "o que torna absolutamente inviável a presença em produtos da empresa". A Perdigão nega ter recebido qualquer contato das autoridades coreanas. "A empresa não foi notificada sobre o suposto fato pelas autoridades sanitárias da Coreia do Sul ou pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil." O frigorífico vai contatar as autoridades sanitárias da Coreia do Sul para a apuração do fato. Atualmente, a Perdigão exporta para 110 países.DIVERGÊNCIAO diretor executivo da Associação Brasileira dos Exportadores de Frango (Abef), Christian Lohbauer, disse que esse pode ser mais um episódio de divergência sobre a quantidade mínima permitida da substância apontada como irregular pela Coreia do Sul por tonelada embarcada. "Não tenho detalhes do caso, mas não me parece diferente do que acontece de três em três meses em determinados países." Lohbauer lembrou que uma devolução de carregamento semelhante ocorreu em Cingapura e essas reclamações são normalmente apresentadas por países asiáticos.O governo brasileiro afirmou que não foi comunicado oficialmente sobre a decisão da Coreia do Sul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.