Correção: Anac aprova plano para melhorias em Confins

A nota enviada anteriormente contém uma incorreção. A BH Airport assumirá a operação do aeroporto cerca de quatro meses após a assinatura do contrato, realizada no dia 7 de abril de 2014.

LUCIANA COLLET, Agencia Estado

28 de maio de 2014 | 21h02

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aprovou parcialmente nesta quarta-feira, 28, o Plano de Ações Imediatas (PAI) para o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, informou a CCR. Conforme destacou a companhia, principal acionista privado da concessionária BH Airport, a empresa iniciará as intervenções previstas pouco mais de dois meses antes do início efetivo de suas operações como administradora do aeroporto, o que está programado para agosto. Segundo a empresa, o objetivo é beneficiar o passageiro durante a Copa.

"Em antecipação ao prazo contratual, a concessionária já havia solicitado autorização para iniciar algumas das intervenções no aeroporto ainda durante a administração da Infraero", explicou a CCR, em nota. Conforme previsto, no período inicial do contrato de concessão, aeroporto permanece sob responsabilidade da estatal Infraero e a equipe da BH Airport acompanha as atividades para se familiarizar com a rotina da operação. Somente após cerca de quatro meses de contrato é que a concessionária assume a gestão do aeroporto.

Das 22 atividades previstas no plano de melhorias de curto prazo, a Anac aprovou o início de todas e solicitou informações adicionais em sete delas, as quais deverão ser prestadas em até 20 dias. Entre as intervenções previstas até a Copa estão a revitalização e atualização da sinalização de informação ao passageiro; a revisão e melhoria da iluminação; a ampliação no número de pontos de energia nas salas de embarque; a melhoria e manutenção do paisagismo; melhorias nos sanitários e fraldário; a instalação de câmeras na torre de segurança; a limpeza e sinalização nos acessos viários e a revisão dos sistemas de escadas rolantes, esteiras de bagagem e elevadores.

Há ainda outras intervenções previstas no plano de ações. Dentro de 90 dias, a concessionária deverá instalar câmeras de segurança nos estacionamentos e internet rápida wi-fi, gratuita, realizar ações para conter vazamentos e infiltrações e melhorar a pintura de paredes, pisos e forros. Outras ações devem ser concluídas até outubro, incluindo novas opções de alimentação, melhorias do sistema de embarque/desembarque remoto e sistema de coleta de lixo seletiva, entre outras ações.

O aeroporto de Confins foi leiloado à iniciativa privada em dezembro do ano passado. O consórcio formado pela CCR e pelos operadores aeroportuários internacionais Flughafen München e Flughafen Zurich conquistou a concessão ao apresentar um lance de R$ 1,82 bilhão, ágio de 66% em comparação ao valor mínimo de outorga estabelecido. O consórcio detém 51% da BH Airport e a Infraero detém os 49% restantes. Durante os 30 anos de contrato, o aeroporto deverá receber R$ 3,5 bilhões em investimentos, incluindo a ampliação do terminal de passageiros e do pátio de aeronaves, além da construção da segunda pista de pouso e decolagem.

Tudo o que sabemos sobre:
Anacconfinscopa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.