Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Correção: Dilma nega recuo do governo em taxar poupança

A nota enviada anteriormente continha um erro referente ao saldo da poupança que seria taxada com Imposto de Renda. O correto é R$ 50 mil e não US$ 50 mil, como constava. Segue o texto corrigido:

AE, Agencia Estado

10 de outubro de 2009 | 16h10

Salvado, 10 - A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, negou hoje, em Salvador, que o governo tenha recuado ao não enviar o projeto que taxaria com Imposto de Renda (IR) as cadernetas de poupança com saldo acima de R$ 50 mil a partir de 2010. Dilma afirmou que participa das negociações no governo, mas que qualquer projeto só é enviado ao Congresso a partir do parecer definitivo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Como não houve sinal verde de Lula...."

Segundo a ministra, o governo tem grande consideração pela classe média. "Até porque nós do governo somos responsáveis por esse País ser integrado dominantemente pela classe média", afirmou. Para Dilma, o governo não tem intenção de taxar ainda mais a classe média. Ela deu como exemplo a redução do IR de setores da classe média no período da crise, quando o governo reduziu as alíquotas.

Tudo o que sabemos sobre:
Dilmapoupança

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.