Correção: IGP-M fica perto do teto das previsões

A nota enviada anteriormente contém erros. O Índice de Preços por Atacado (IPA) subiu 2,36% este mês, e não o Índice de Preços Agrícolas, como estava grafado. Além disso, o nome correto do INCC é Índice Nacional de Custo da Construção, e não Índice Nacional da Construção Civil. Segue a nota corrigida:A inflação medida pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) este ano subiu 7,75%. Em 2006, o índice encerrou o ano com alta de 3,83%. A informação foi anunciada hoje pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), que divulgou o resultado de dezembro do índice - que apresentou alta de 1,76%, ante aumento de 0,69% em novembro. A taxa mensal ficou perto do teto das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pela Agência Estado, que esperavam um resultado entre 1,10% e 1,80%.Com o resultado anual de 2007, o IGP-M desse ano atingiu a quinta menor taxa de sua série histórica, iniciada em 1989, perdendo apenas para a de 2005 (1,21%); a de 1998 ( 1,78%); a de 2006 ( 3,83%) e a de 1997 (7,74%).A FGV anunciou ainda os resultados dos três indicadores que compõem o IGP-M de dezembro. O Índice de Preços por Atacado (IPA) subiu 2,36% este mês, ante elevação de 0,97% em novembro. Por sua vez, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) apresentou elevação de 0,67% em dezembro, ante aumento de 0,04% em novembro. Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou alta de 0,43% em dezembro, ante avanço de 0,48% em novembro.O período de coleta de preços para cálculo do IGP-M de dezembro foi do dia 21 de novembro a 20 de dezembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.