CORREÇÃO

A reportagem "A Caixa quer subir ao pódio", publicada na página N3 da edição de 26/11, afirmava que o banco quer ser uma das três maiores instituições financeiras do País até 2015. O correto é que a meta foi estabelecida para os próximos dez anos. No mesmo texto, os dados do Ibope Monitor não consideram descontos para anunciantes. O balanço da Caixa aponta gasto de R$ 425 milhões com propaganda, publicidade e promoções de janeiro a setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.