Correção: País tem 7 acessos a banda larga por minuto

A nota enviada anteriormente tinha erros. Eduardo Levy é diretor executivo da SindiTelebrasil, e não como constou. Segue a nota corrigida:

LEONARDO GOY, Agencia Estado

26 de maio de 2010 | 11h20

Como defensor do papel das empresas privadas na expansão da banda larga no País, o diretor executivo do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil), Eduardo Levy, disse hoje que a cada minuto são feitos sete novos acessos à banda larga no País. A conta leva em consideração dados do primeiro trimestre apurados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e ainda as 24 horas do dia e os sete dias da semana.

Levy brincou que, como não se vende banda larga para clientes na hora em que estão dormindo, considerando-se apenas o horário comercial, são vendidos no Brasil 10 acessos de banda larga por minuto. Segundo ele, as empresas do setor "são a melhor opção para massificar a banda larga, com menor custo, mais rapidez e maior eficácia".

Levy criticou ainda a alta carga tributária que incide sobre o setor no País. "Os impostos são mais que o dobro da média da América Latina", disse ele, sugerindo que uma redução da carga tributária ajudaria a expandir os serviços. "Quem paga o imposto onera o cidadão e não as teles. Ele dificulta o acesso do cidadão ao serviço", disse, durante audiência pública da Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado, que discute o Plano Nacional de Banda Larga.

Tudo o que sabemos sobre:
internetbanda larga

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.