Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

CORREÇÃO-Ritmo de alta na venda de supermercados diminui em 2011

Os supermercados brasileiros devem fechar 2011 com desaceleração de quase três vezes no crescimento do volume de vendas em relação ao ano passado, conforme dados divulgados nesta quarta-feira pela associação que representa o setor no país, Abras.

(CORRIGE MATÉRIA, REUTERS

29 de setembro de 2011 | 14h23

De janeiro a agosto, o setor supermercadista vendeu 2,5 por cento mais em termos de volume na comparação com o mesmo período de 2010. O crescimento, entretanto, ficou bem abaixo do verificado um ano antes, quando houve alta de 6,8 por cento.

Segundo o superintendente da Abras, Tiaraju Pires, o cenário nos últimos quatro meses do ano não deve ser alterado, considerando que 2010 foi marcado por forte expansão do consumo e que não há perspectivas de grandes mudanças do atual cenário macroeconômico.

"É bastante provável que (as vendas) se mantenham no patamar atual, ficando bem abaixo do ano passado (o crescimento) em volume", disse ele, atribuindo o desempenho à forte base de comparação com 2010, quando o aumento do poder aquisitivo das classes mais baixas, somado à Copa do Mundo, estimulou as vendas, principalmente de cerveja, que tem elevado peso no índice.

No acumulado deste ano, a cesta de bebidas alcoólicas também se manteve como responsável pelo crescimento, com alta de 7,2 por cento, sendo que as vendas de cerveja avançaram 4,3 por cento ante igual intervalo de 2010.

O resultado, contudo, é bastante inferior ao visto um ano antes, quando a comercialização de cerveja acumulava expansão de 19,5 por cento e a de bebidas alcoólicas como um todo, de 16,6 por cento.

Por outro lado, as vendas de vinho responderam pelo maior avanço entre janeiro e agosto, de 34,5 por cento ano a ano.

"Isso mostra claramente a movimentação das classes sociais, permitindo a compra de produtos que antes eram inacessíveis, somada à maior oferta de vinhos em supermercados," disse Pires.

As vendas de perecíveis responderam pelo segundo melhor desempenho no acumulado de 2011, sendo 5,2 por cento maiores.

FATURAMENTO CRESCE

Já em termos de receita, as vendas reais dos supermercados aumentaram 3,91 por cento em agosto na comparação com o mesmo mês do ano passado. Em relação ao mês anterior, houve queda de 2,2 por cento, atribuída ao fato de julho contar com um final de semana a mais.

No acumulado do ano até agosto, o setor registrou expansão de 4,27 por cento nas vendas ante igual intervalo em 2010.

A Abras manteve a estimativa de crescimento de 4 por cento para as vendas do setor no fechado de 2011.

A entidade apresentou também os dados da cesta AbrasMercado, composta por 35 produtos e calculada pela GfK, que em agosto aumentou 2,14 por cento sobre o mês imediatamente anterior, para 302,32 reais. Na comparação anual, o valor da cesta subiu 11,58 por cento.

Os produtos com maiores altas de preço em agosto ante julho foram tomate (+7,09 por cento), carne traseiro (+6,5 por cento) e frango congelado (+4,5 por cento). As maiores quedas foram cebola (-11,56 por cento), batata (-11,04 por cento) e farinha de mandioca (-3,35 por cento).

Tudo o que sabemos sobre:
VAREJOABRASAGOSTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.