Correção:Transações correntes tem déficit de US$ 6,26 bi

A nota enviada anteriormente contém uma incorreção no título. O correto é transações correntes em novembro tem o maior déficit do ano e não transações correntes no mês têm o maior déficit do ano. Segue o texto com novo título:

CÉLIA FROUFE E EDUARDO CUCOLO, Agencia Estado

18 de dezembro de 2012 | 11h56

O déficit em transações correntes em novembro ficou em US$ 6,265 bilhões, configurando-se desde janeiro de 2012, quando o volume foi de US$ 7,046 bilhões. O dado ficou dentro do intervalo das estimativas coletadas pelo AE Projeções, que variava de um déficit de US$ 5,200 bilhões a US$ 6,800 bilhões em novembro. O número superou a medida projetada, de US$ 6,000 bilhões de déficit.

No acumulado do ano, o déficit do País nas transações correntes soma US$ 45,819 bilhões, o equivalente a 2,21% do Produto Interno Bruto (PIB). No acumulado em 12 meses, o déficit em transações correntes soma US$ 51,827 bilhões (2,28% do PIB).

No mês passado, a balança comercial registrou um resultado negativo de US$ 187 milhões enquanto a conta de serviços ficou negativa em US$ 3,237 bilhões. Já a conta de renda ficou negativa em US$ 3,007 bilhões.

Viagens

A conta de viagens internacionais registrou déficit de US$ 1,287 bilhão em novembro. O saldo é resultado do volume de despesas pagas por brasileiros no exterior acima das receitas obtidas com turistas estrangeiros no Brasil. O déficit foi levemente maior do que o de novembro de 2011, quando ficou em US$ 1,008 bilhão.

No acumulado dos 11 primeiros meses do ano, o saldo da conta de viagens está negativo em US$ 14,162 bilhões, um pouco mais do que os US$ 13,569 bilhões vistos em igual período do ano passado.

O Banco Central diz ter observado que a valorização do dólar em relação ao real e a desaceleração da economia brasileira tendem a acomodar os gastos de brasileiros em viagem ao exterior, que bateram sucessivos recordes em 2011.

Tudo o que sabemos sobre:
BCsetor externotransações correntes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.