Helvio Romero/Estadão
Helvio Romero/Estadão

Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Correios anunciam reajuste de 6,34% nas tarifas de encomendas

Estatal afirma que precisa 'equilibrar o impacto dos custos na prestação dos serviços'; índice é ponderado de acordo com origem, destino e tipo de encomenda

Ana Luiza de Carvalho, O Estado de S.Paulo

16 de outubro de 2019 | 15h58

Os Correios reajustaram em 6,34% a tarifa média dos serviços SEDEX Hoje, SEDEX 10 e SEDEX 12 no último dia 14. O reajuste foi confirmado nesta quarta-feira, 16, pela estatal. Os Correios afirmam que o aumento é uma média ponderada nacional, variando de acordo com origem, destino e tipo de encomenda.

De acordo com a empresa, "a atualização dos preços ocorre para equilibrar o impacto dos custos na prestação dos serviços". A estatal afirmou ainda que o reajuste não se aplica a clientes que possuem contratos com os Correios.

 

Situação dos Correios

Em agosto deste ano, o ministro da EconomiaPaulo Guedes, divulgou uma lista de empresas estatais que seriam privatizadas que continha os Correios. O presidente Jair Bolsonaro afirmou à época que a estatal seria a primeira.

A possibilidade de privatização foi uma das causas de uma greve dos funcionários deflagrada em julho. Fischer Moreira, secretário de imprensa da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect), alega que a base aliada do governo no Congresso Nacional, como a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), divulga informações sobre a empresa que ‘faltam com a verdade’.

“Não necessariamente a privatização vai trazer preços mais acessíveis, inclusive para regiões periféricas, e a precarização de serviços vai ser ampliada. A gente sabe que existe esse fantasma da privatização e combate essa perspectiva”, diz. 

Tudo o que sabemos sobre:
Correios

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.