Correios fazem mutirão para colocar entregas em dia

Funcionários vão trabalhar duas horas a mais para colocar em dia a entrega de 130 milhões de objetos

Giuliana Vallone, do estadao.com.br,

22 de julho de 2008 | 13h18

Os funcionários dos Correios de todo o País vão trabalhar duas horas a mais nos primeiros dias de volta ao trabalho para compensar os dias parados e colocar a entrega de encomendas em dia, segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Correios (Fentect). Além disso, a empresa deve convocar todo o efetivo para trabalhar aos sábados.  A greve, que durou 21 dias, resultou em um atraso na entrega de 130 milhões de cartas, boletos de cobrança e pacotes ainda não tinham chegado ao destinatário. A previsão da Fentect é de que a entrega nos grandes centros seja normalizada em no máximo quatro dias. Nas pequenas cidades, a normalização pode levar mais tempo, já que o transporte é mais demorado, chegando a até 15 dias. Os trabalhadores voltaram ao trabalho nesta terça, após votarem a favor da proposta negociada entre grevistas, a direção da empresa e o ministro das Comunicações, Hélio Costa, no sábado. Com o fim da greve, os Correios retomam nesta terça os serviços de entrega com hora marcada, como Sedex 10, Sedex Hoje e Disque Coleta. O acordo estabelece o pagamento definitivo de abono de 30% sobre o salário base para 43 mil carteiros da distribuição e coleta externa. Também está previsto o pagamento de um adicional fixo de R$ 260,00 mensais para outros 16 mil funcionários, incluindo motoristas e atendentes de agências dos Correios. A empresa cedeu e decidiu, com o aval do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, suspender o desconto dos dias parados, que serão compensados com banco de horas de trabalho. Pelo acerto, serão retomadas as discussões entre empresa e funcionários para a elaboração de um plano de cargos e salários.

Mais conteúdo sobre:
CorreiosGreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.