Correios lançam serviços de remessa expressa

O mercado de remessa de encomendas expressas no País deverá se movimentar bastante a partir de amanhã. A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos lançará dois novos produtos - o Sedex Hoje e o Sedex Mundi -, com objetivo de abocanhar mais fatias do setor.O Sedex Hoje, de entrega de encomendas no mesmo dia, vai disputar um nicho de mercado ainda pulverizado no País. O Sedex Mundi ampliará de 170 para 215 o número de países para entrega de cargas expressas, o que representa a entrada da estatal em um universo dominado por grandes empresas internacionais, como as americanas Fedex e DHL."O setor de cargas expressas é muito competitivo e não podemos ficar parados", explica o gerente de programas de encomendas dos Correios, Marcos César Alves Silva, responsável pelo projeto do Sedex Hoje.Atualmente, a estatal ainda tem o monopólio dos serviços postais, como entrega de cartas, mas enfrenta concorrência para encomendas expressas. "Nossa intenção é ser bem agressivos nesse mercado", avisa o diretor de Operações dos Correios, Maurício Madureira. No ano passado, foram enviadas 113 milhões de encomendas Sedex e a estatal já detém 70% das entregas de produtos comercializados pela Internet.CaracterísticasO Sedex Hoje promete entregar até as 18 horas do mesmo dia, documentos e objetivos postados até as 11 horas da manhã, com peso até 10 quilos. Serão atendidas 124 cidades, que representam 80% do potencial de consumo de serviços expressos do País, sendo que 14 capitais e cidades grandes do interior, como Campinas e Ribeirão Preto.Para atingir 215 países com o Sedex Mundi, os Correios se associaram à multinacional holandesa TNT, que venceu uma licitação realizada em 2001. Essa é a principal diferença, além do preço 30% mais caro, do atual serviço de entrega internacional de encomendas, que usa convênios com serviços postais de 170 países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.