Correntistas terão garantia de até R$ 250 mil em caso de quebra de banco

Fundo Garantidor de Crédito administrado pelo sistema financeiro vai elevar valor que hoje é de R$ 70 mil

Leandro Modé, do Estadão,

26 de abril de 2013 | 18h07

SÃO PAULO - O Fundo Garantidor de Créditos (FGC) vai elevar de R$ 70 mil para R$ 250 mil o valor garantido para as pessoas físicas em caso de quebra ou intervenção do Banco Central (BC) em alguma instituição financeira.

A medida será referendada oficialmente pelo Conselho do Fundo em uma assembleia programada para terça-feira em São Paulo.

Se tudo correr conforme a expectativa dos executivos da instituição, a nova cobertura já passa a valer a partir de quarta-feira, 1º de maio.

"Nosso objetivo é fazer com que o Brasil fique sintonizado com o resto do mundo nesse tipo de garantia", afirmou ao Estado o diretor-executivo do FGC, Antônio Carlos Bueno, lembrando que, na Europa, os depósitos são garantidos até o limite de € 100 mil, o equivalente a R$ 260 mil.

O FGC é uma entidade criada em 1995 pelos próprios bancos para garantir os depósitos dos clientes das instituições até um determinado limite, em caso de quebra de bancos. O valor de cobertura é calculado por CPF ou CNPJ em cada instituição financeira.

Tudo o que sabemos sobre:
fgccréditofundo garantidorgarantia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.