Corretora americana instala-se no país

A Charles Schwab, maior corretora on-line dos Estados Unidos (EUA), anunciou ontem a abertura oficial de seu escritório no Brasil, o primeiro na América Latina. Hoje, do volume norte-americano negociado via Internet (30% do total), a empresa é responsável por 26% das negociações. "Na América Latina, a Schwab detém cerca de 90% das transações realizadas por meio da rede no mercado norte-americano", conta o diretor de Desenvolvimento de Negócios da corretora na América Latina, Luiz Souto-Maior.Segundo o diretor, por enquanto a atividade do escritório no País estará restrita à parte educacional dos investidores brasileiros que querem alcançar o mercado norte-americano ou já têm acesso a ele, mas o principal objetivo é fortalecer a relação com os atuais clientes. "Queremos atingir todo tipo de investidor, mas em especial aqueles mais sofisticados", diz.De acordo com o vice-presidente sênior da Schwab, Lionel Baugh, os profissionais do escritório vão ajudar o investidor a encontrar em seu site todas as informações necessárias para aplicar em produtos nos EUA por meio da Web. Futuramente, a empresa estuda a possibilidade de lançar um site também em português.Para ser cliente da corretora, o investidor precisa abrir uma conta em Miami e ter no mínimo US$ 10 mil. Com isso, o cliente pode atuar tanto no mercado de renda variável como no de renda fixa, ou seja, podendo comprar ações e cotas de fundos de investimento. Porém, vale ressaltar que, na América Latina, a corretora aceita apenas investidores pessoa física.Atualmente, o site da Schwab oferece cerca de 3 mil fundos de investimento de várias instituições, sendo 50 administrados pela empresa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.