O MENSAGEIRO
O MENSAGEIRO

Privatização da Corsan é suspensa por Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul

Empresa é responsável pelo serviço de saneamento no Estado e seria privatizada em uma oferta de ações na Bolsa no segundo semestre; tribunal avaliou que é preciso corrigir pontos do processo

Juliana Estigarríbia, O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2022 | 21h02

O Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul determinou a suspensão do processo de privatização da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan). Segundo a decisão, o processo de oferta pública está suspenso até que haja “correções na modelagem econômico-financeira”.

O TCE acolheu posicionamento do corpo técnico e do Ministério Público de Contas. A determinação considera que as “correções devam ser incorporadas no preço mínimo admitido para a venda das ações”.

A expectativa era de que a oferta de ações da Corsan ocorresse no segundo semestre deste ano. O projeto está sendo estruturado pelo BNDES.

O TCE apontou inúmeras correções na modelagem da oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da Corsan, segundo apurou o Estadão/Broadcast, o que pode dificultar ainda mais a conclusão do projeto. O clima para tentar reverter a decisão, segundo pessoas próximas ao governo, é ruim, considerando principalmente o período eleitoral.

A Corsan afirmou em comunicado ao mercado que, juntamente ao seu acionista controlador, o Estado do Rio Grande do Sul, estuda medidas cabíveis acerca da suspensão do processo de privatização da empresa, uma determinação do Tribunal de Contas do Estado.

"A companhia e seu acionista controlador manterão o mercado e a sociedade em geral informados de eventuais repercussões", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.