‘CORTARAM A ENERGIA DE CASA’

Sem dinheiro, terceirizado parou tratamento

O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2016 | 17h00

Sem dinheiro para pagar o tratamento médico e a conta de luz, o maqueiro Jordeilson da Silva Rodrigues, de 43 anos, é um dos servidores terceirizados da empresa Cometa – que presta serviços para a Secretaria Estadual de Saúde de Roraima (Sesau). Ele está com o salário atrasado há três meses.

“Tivemos a informação de que o governo fez o repasse para a empresa nos dias 10 e 14 de abril, mas até agora só recebemos o último salário. Os três meses anteriores não foram pagos e já estamos entrando em mais um mês”, disse.

Segundo Rodrigues, por causa do atraso no salário, alguns funcionários cruzaram os braços por uma hora durante o plantão do último dia 12.

Sem salário, Jordeilson já teve de interromper um tratamento médico para cuidar de um problema no nervo ciático. “Não tive como continuar o tratamento por falta de dinheiro. Eu precisaria tomar medicamentos caríssimos, que não estão na rede pública. Também precisaria fazer uma ressonância na rede particular que custava R$ 800”, afirmou.

Outra preocupação é com as contas de casa. “Cortaram a energia lá de casa por falta de pagamento. Hoje, eu não tenho dinheiro para comprar itens de higiene pessoal. É um constrangimento grande demais”, disse.

Por meio de nota, o governo esclareceu que a Sesau já realizou o repasse do recurso para as empresas e que, portanto, não há motivo para atraso de salário / VANESSA VIEIRA, ESPECIAL PARA O ESTADO

Tudo o que sabemos sobre:
CometaRodrigues

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.