Corte de Apelações de Mônaco aceita extradição de Cacciola

Após rejeição de recurso do ex-banqueiro brasileiro, decisão cabe agora ao Executivo do principado

Rosana de Cassia, da Agência Estado,

25 de junho de 2008 | 13h16

O ministério da Justiça informou nesta quarta-feira, 25, que a Corte de Apelações de Mônaco rejeitou recurso do ex-banqueiro Salvatore Cacciola e aceitou o pedido de extradição dele, feito pelo governo brasileiro. "A corte considerou o processo legítimo", afirma nota do Ministério.  Sem margem para mais recursos à Corte de Apelações de Mônaco a decisão, segundo o Ministério da Justiça, caberá agora ao Executivo do principado.  Cacciola foi dono do Banco Marka, que quebrou com a desvalorização cambial, em 1999. Há três anos, o ex-banqueiro foi condenado a 13 anos de prisão por crimes de peculato (utilização do cargo exercido para apropriação ilegal de dinheiro) e gestão fraudulenta.

Tudo o que sabemos sobre:
Salvatore Cacciola

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.