finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Corte de crédito prejudica mais a Bombardier

O Canadá terá de alterar mais seus financiamentos oficiais para as exportações da Bombardier do que o Brasil em relação ao crédito para vendas de aviões da Embraer, informou o vice-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Armando Mariante Carvalho. As mudanças decorrem do acordo da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) sobre financiamento à exportação, assinado ontem no Rio. Estados Unidos e União Européia também terão de mudar seus sistemas de financiamento, segundo Mariante. "Nós já vínhamos seguindo uma linha de mercado. Outros países é que não." Segundo ele, o acordo reduzirá o uso de recursos do Tesouro no programa brasileiro de financiamento às exportações Proex, mas "muda muito pouco" as regras dos financiamentos do BNDES para a Embraer. Há três anos a companhia não usava o banco federal para financiamentos novos a seus compradores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.