Corte de imposto garante crescimento econômico, diz Bush

O presidente dos EUA, George W. Bush, indicou hoje que não está interessado em promover uma nova rodada de corte nos impostos para estimular a economia. Ele disse que os três pacotes de redução de impostos que ele enviou ao Congresso desde que tomou posse são suficientes para impulsionar a economia e criar empregos. "Nós acreditamos que o plano de alívio de impostos que foi aprovado pelo Congresso em 2001 e, mais recentemente, em 2003 terão um efeito positivo sobre o crescimento e a vitalidade econômica", disse.O presidente norte-americano disse que os pacotes tributários "são robustos o suficiente" para criar as condições necessárias para o crescimento econômico e, conseqüentemente, as pessoas encontrarão um emprego. "Se mudarmos de opinião, vocês saberão", disse.Bush reduziu a importância dos déficits que o país está registrando, ao dizer que vencer a guerra contra o terrorismo é uma prioridade maior. Ele disse que vê pouco risco político com o fato das projeções apontarem um déficit de US$ 455 bilhões no ano fiscal 02/03 e de US$ 475 bilhões no ano fiscal 03/04. "O povo americano espera que o presidente faça o que for necessário para vencer a guerra", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.