Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Cosan lucra R$13,7 mi no 1o tri de 07/08; Ebitda cai

A Cosan, maior produtora de açúcar eálcool do Brasil, anunciou nesta quinta-feira lucro líquido de13,7 milhões de reais no seu primeiro trimestre fiscal de2007/08, contra um lucro de 5,4 milhões de reais um ano antes. No quarto trimestre fiscal de 2006/07, o lucro líquido daempresa foi de 164,7 milhões de reais. Segundo comunicado da companhia ao mercado, a queda nospreços do açúcar e do álcool, devido a maiores safras de canano Brasil e em outros produtores mundiais, como a Índia, teveimpacto nos resultados. "A dramática queda nos preços das commodities açúcar eetanol, a relevante apreciação do real contra o dólar e ascondições climáticas adversas do trimestre fizeram com que todoo setor sucroalcooleiro brasileiro fosse pesadamente afetado noinício da safra 2007/2008", informou a empresa, ressaltando quea situação da Cosan "não foi diferente". Segundo o relatório, "os preços médios do açúcar e etanolno primeiro trimestre de 07/08 caíram 46 por cento e 29 porcento relativamente a igual trimestre do ano anterior". A Cosan informou ainda que a geração de caixa medida peloEbitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos,amortização e depreciação) totalizou 49,5 milhões de reais notrimestre de maio a julho, forte queda em relação aos 329,1milhões de reais no mesmo intervalo do ano passado. "No período a companhia priorizou a comercialização doaçúcar com 842,1 mil toneladas, em virtude da posição favorávelde hedge existente." De acordo com o comunicado, no trimestre foram vendidos 245milhões de litros de álcool. "Considerando-se que esse (álcool) é essencialmente ummercado a preços spot, a Cosan optou por uma maior estocagem,até como forma de mitigar o efeito maléfico ocasionado pelasvendas maciças praticadas pela maioria dos produtores deetanol." Ao final do primeiro trimestre fiscal, a Cosan registrouvendas líquidas de 591,7 milhões de reais, 37,3 por centoinferiores às registradas no mesmo período do ano 06/07. CHUVAS, DÓLAR A empresa apontou ainda que o "custo dos produtos vendidosacabou sendo fortemente prejudicado pela chuva intermitenteatípica nesse início da safra, fazendo com que apenas 15,1milhões de toneladas de cana fossem moídas, comparativamenteaos 17,3 milhões de toneladas inicialmente planejados". Dessa forma, com a grande ociosidade gerada nas atividadesagrícolas e industriais da companhia, o custo da cana foielevado. Em função disso, juntamente com os preços deprimidos doaçúcar e do álcool, "a margem Ebitda caiu para 8,4 por centonesse primeiro trimestre de 2008, comparativamente aos 34,9 porcento de igual trimestre do ano anterior". Com relação à apreciação do real frente ao dólar, de 14 porcento no período, a empresa informou que isso penalizousignificativamente as receitas de exportação no trimestre(embora parcialmente mitigadas pelo hedge de taxa de câmbio). "(Mas) tal apreciação acabou trazendo relevante ganhocambial sobre o endividamento em dólares, gerando receitafinanceira líquida de 150,8 milhões nesse primeiro trimestre de2008."

ROBERTO SAMORA, REUTERS

13 de setembro de 2007 | 21h02

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSCOSANACUCAR

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.