Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Cosan reverte perda e encerra trimestre com lucro

O maior grupo brasileiro de açúcar e álcool, Cosan, reverteu prejuízo sofrido um ano antes e encerrou o segundo trimestre fiscal com lucro de 173,4 milhões de reais, apoiado em melhora de preços das commodities e forte efeito positivo de variação cambial sobre o resultado financeiro.

REUTERS

13 de novembro de 2009 | 09h01

A companhia, que havia amargado prejuízo líquido de 380,7 milhões de reais entre julho e setembro de 2008, informou ainda que "boas margens na distribuição de combustíveis", também apoiaram o resultado.

A empresa registrou geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) de 355,7 milhões de reais contra 182,5 milhões de reais um ano antes. A margem despencou de 25,5 para 9,9 por cento.

Um efeito cambial positivo de 200,3 milhões de reais fez o resultado financeiro da empresa encerrar positivo em 78,9 milhões de reais, ante 551,8 milhões de reais negativos no segundo trimestre fiscal do ano passado.

A Cosan teve receita operacional líquida disparou a 3,575 bilhões de reais, ante 715,1 milhões de reais um ano antes, apoiada pelos resultados da distribuidora de combustível e lubrificantes CCL, antiga Esso. "A maior contribuição para esse aumento veio da CCL, com receitas de 2,4 bilhões de reais no período representando 67,5 por cento do faturamento líquido", informa a Cosan no balanço.

A empresa processou 18,45 milhões de toneladas de cana-de-açúcar contra 16,78 milhões um ano antes. A produção de açúcar refinado somou 421 mil toneladas, avançando sobre as 274 mil toneladas do segundo trimestre fiscal do ano passado. Já a produção de etanol hidratado subiu de 396 mil para 424 mil metros cúbicos.

"Devido às chuvas atípicas que diminuíram os dias disponíveis para moagem neste ano e à alteração do ano fiscal, o volume de cana processada no acumulado até o final do segundo trimestre estava no mesmo nível do final do segundo trimestre do ano passado, apesar de termos adicionado quase 25 por cento de capacidade", afirma a Cosan no balanço.

A empresa prevê para o atual ano fiscal uma alta de 40 a 60 por cento no volume de etanol vendido em relação aos 1,495 bilhão de litros do ano anterior e investimento crescendo entre 20 e 30 por cento ante 1,346 bilhão de reais no ano fiscal de 2009.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSCOSANRESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.