Cosméticos importados já sofrem com a alta do dólar

O setor de cosméticos e perfumes já está sentindo os efeitos da alta do dólar. De acordo com a Associação dos Importadores de Perfumes e Cosméticos (Adipec), neste ano, os produtos como tinturas, perfumes, fragrância e produtos de maquiagem e cuidados para a pele importados já tiveram um aumento de 10% a 15%, comparado ao mesmo período do ano passado, devido às altas cotações da moeda norte-americana. A vice-presidente da Adipec, Evelyse Brito, destaca que os repasses representam menos da metade da desvalorização do real frente ao dólar neste ano, que é de 42,49%. "O setor não tem mais espaço para aumentar os preços dos produtos. Estamos reduzindo as margens de lucro, para não assustar o consumidor com novos reajustes", explica.Evelyse Brito acredita que se o dólar continuar subindo os varejistas terão que reajustar novamente os preços em breve. "Mesmos os cosméticos fabricados no país estão aumentando porque são produzidos à base de insumos importados", avisa. Porém, a vice-presidente da Adipec afirma que a venda dos cosméticos ainda não caíram porque os consumidores são fiéis e não deixam de comprar produtos de tratamento para pele e cabelo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.