Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Costa quer usar recursos do Fust para telefones públicos

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, quer usar recursos do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) para que sejam instalados telefones públicos em localidades com menos de 100 habitantes. Costa colocará em consulta pública proposta para incluir essas localidades nos planos de universalização das concessionárias de telefonia fixa."Pelo menos 8.760 localidades deverão ser beneficiadas. Cada uma terá pelo menos um telefone público", disse Costa. Segundo o ministro, para levar os orelhões a essas localidades deverão ser investidos R$ 285 milhões. Outros R$ 7,5 milhões seriam aplicados anualmente para as despesas operacionais das novas instalações.O ministro participou hoje da solenidade de assinatura, entre a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e as concessionárias de telefonia fixa, dos compromissos para a instalação de aparelhos especiais em instituições de apoio a deficientes auditivos. O projeto recebeu R$ 7,5 milhões do Fust. A estimativa do governo é de que, com os recursos, serão instalados aparelhos telefônicos especiais em 782 instituições.Os compromissos assinados hoje marcam o início da liberação dos recursos do Fust. O fundo - formado pelo recolhimento de 1% da receita operacional bruta das empresas de telecomunicações - soma hoje um saldo de cerca de R$ 6 bilhões. Até hoje, o dinheiro do Fust não havia sido liberado. Agora, Costa acredita que as próximas liberações deverão ser mais simples. "Agora fica mais fácil, porque o caminho está aberto, já temos procedimentos padrões a seguir", disse.Costa disse que, no ano que vem, espera liberar cerca de R$ 1 bilhão do Fust para projetos de universalização. "Esse dinheiro tem tudo para ser liberado".

LEONARDO GOY, Agencia Estado

05 de setembro de 2007 | 19h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.