Costa: todas geradoras de SP poderão operar TV digital

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, disse hoje que o governo estuda a possibilidade de permitir que todas as geradoras de televisão do Estado de São Paulo comecem a operar imediatamente o sinal de TV digital. A permissão, hoje, está restrita a emissoras da capital paulista, mas, segundo o ministro, pessoas de cidades próximas a São Paulo, a cerca de 80 quilômetros, estão preferindo captar o sinal digital emitido pelas geradoras paulistanas a utilizar o sinal analógico local.Costa anunciou também que, na próxima quinta-feira (dia 27), participará, em Belo Horizonte (MG), da distribuição dos canais digitais. Com isso, acredita o ministro, as emissoras da capital mineira poderão começar a operar o novo sistema já em março de 2008.Ele prevê que, no início do próximo ano, a distribuição de canais se dará também no Rio de Janeiro, Brasília, Salvador e Fortaleza. Pelas regras, as emissoras têm até seis meses para entrar em operação depois de receberem os canais digitais.Costa assistiu hoje a uma demonstração de recepção de imagens digitais por meio de um conversor que deverá custar ao consumidor final R$ 250, desenvolvido pela empresa Comsat. Este aparelho, segundo o diretor da Comsat, Jakson Sosa, será colocado à venda até fim de janeiro.A empresa terá condições de produzir cerca de 60 mil unidades mensais no primeiro bimestre de 2008, chegando a 100 mil conversores por mês em meados do ano. A empresa tem um projeto de fabricar também um computador por R$ 626, preço de fábrica.SubsídiosCosta ressaltou que o governo continua trabalhando para desonerar a produção de equipamentos de TV digital. Segundo ele, já começa a haver uma abertura por parte dos governos estaduais à idéia de conceder incentivos ao setor.O ministro citou como exemplo uma decisão do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), da semana passada, de dar isenção total, de 27%, para os serviços de comunicação do programa Governo Eletrônico - Serviço de Atendimento ao Consumidor (Gesac), que leva internet em alta velocidade para escolas públicas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.