Cotistas de fundo processam Bank of America

Um grupo de 30 cotistas de fundos do Bank of America pode ir à Justiça reclamar perdas de até 25% do patrimônio de suas aplicações no mercado de derivativo em junho. Os prejuízos dos investidores podem ser de R$ 100 milhões. O advogado e ex-presidente da Comissão de Valores Mobiliários Francisco da Costa e Silva foi procurado pelos cotistas e agora estuda o caso, que pode se configurar como gestão temerária ou má gestão da área de administração de recursos da filial brasileira do banco americano."Nenhum outro fundo teve um prejuízo dessa magnitude no período. Se ficarem comprovadas irregularidades vamos buscar o ressarcimento", avisou Costa e Silva. Outro caminho será reclamar junto à Comissão de Valores Mobiliário (CVM), que a partir da aprovação da nova Lei das S.A.s passou a fiscalizar também toda indústria de fundos de investimento no País.Segundo Costa e Silva, a instituição estaria sob intervenção da matriz americana e passando por uma auditoria da KPMG por conta das fortes perdas registradas em seus fundos. O banco, porém, negou qualquer intervenção. Por meio de sua assessoria de imprensa informou que a matriz tem como procedimento monitorar seus escritórios no mundo inteiro, assim como no Brasil.O banco admite que houve pesadas perdas em seus fundos de derivativos, mas alega que esse é um segmento de risco e dirigido a um público especializado. Já Costa e Silva rebate essas afirmações. "Ainda que os fundos aplicassem no mercado de derivativos e fossem fundos de risco, isso não autoriza operações negligentes ", afirmou o advogado. Fontes do mercado revelaram que o Banco Central também estaria de olho no banco por conta das perdas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.