finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Couromoda prevê aumento de 10% na venda de calçados

Os fabricantes de calçados fazem parte do grupo apelidado de "órfãos com câmbio", por conta do impacto negativo da valorização do real sobre as exportações (o produto fica mais caro em dólar). Mas não há muito do que reclamar. O mercado interno está aquecido e o Natal deve ser provavelmente o melhor da década para os calçadistas, segundo o executivo Francisco Santos, presidente da Couromoda, maior feira do setor na América Latina e a quarta maior do mundo. A estimativa é que a próxima edição da Couromoda realize vendas 10% superiores ao total do ano passado, que foi de R$ 5,2 bilhões. Mas a principal novidade da feira, no quesito vendas, é a mudança no perfil dos produtos exportados e também dos importadores.Com a crescente concorrência da China, o exportador brasileiro está perdendo espaço. Neste ano, em valores, as vendas devem ficar praticamente estáveis em relação a 2006, próximas de US$ 1,9 bilhão. Por isso, as empresas estão se vendo forçadas a mudar de nicho, oferecendo calçados de maior valor agregado, com foco em design mais avançado e melhor qualidade de material. Isso significa aumento dos preços do produto exportado, uma forma de compensar a queda no volume de pares embarcados. De janeiro a outubro deste ano, para se ter uma idéia, as exportações de calçados recuaram 1,6% ante igual período de 2006, com a venda caindo de 151,15 milhões de pares para 149,11 milhões de pares, segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados).Essa mudança na estratégia exportadora exige também um tipo diferente de importador, segundo Santos. O número de visitantes estrangeiros não deve se alterar em relação ao ano passado, cerca de 60, mas agora o perfil é diferente. São compradores de grandes magazines da Europa e dos Estados Unidos, que vendem calçados mais caros. Além disso, devem visitar a Couromoda distribuidores do Zappos, um dos maiores sites mundiais de vendas de calçados pela internet.Santos admitiu que pelo menos cem expositores asiáticos que queriam participar da feira não foram atendidos. O argumento do presidente da Couromoda é de que não havia mais espaço para os estrangeiros mostrarem seus produtos. Mas o setor calçadista, é preciso lembrar, nunca escondeu seu incômodo com a entrada de calçados asiáticos, sobretudo da China, no País para concorrer com o produto brasileiro.Além dos estrangeiros, a expectativa dos organizadores é que visitem a Couromoda cerca de 70 mil profissionais do Brasil. São 1,1 mil empresas expositoras, de 12 Estados brasileiros, representando 90% da produção calçadista brasileira. A Couromoda acontecerá de 14 a 17 de janeiro de 2008 no Parque de Exposições do Anhembi, na zona norte de São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.