Coutinho: BNDES e Petrobras discutem aproximação

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, disse que está em "processo de discussão" com a Petrobras para uma aproximação maior entre o banco e a empresa, "nesse momento de aceleração de investimentos" em que a instituição poderá apoiar os fornecedores de bens de capital da estatal."A Petrobras está elevando investimentos em produção, exploração, gás, refinarias, construção de plataformas e navios e a indústria de bens de capital passou muitos anos imobilizada", disse, acrescentando que agora é o momento de colocar o setor novamente em movimento.Segundo ele, o apoio que a nova política industrial, e inclusive o BNDES, darão ao segmento de bens de capital não se limita apenas à indústria de petróleo e seus fornecedores. Coutinho explicou que ontem teve uma reunião com fabricantes de equipamentos na Associação Brasileira da infra-estrutura e Indústrias de Base (Abdib), para discutir os hiatos entre a capacidade de oferta do setor e a demanda dos investidores.MadeiraCoutinho disse que o banco tem a orientação do governo de "apoiar de forma isonômica" todos os consórcios no leilão da usina Santo Antônio (no rio Madeira), "de maneira a maximizar a concorrência". Ele fez o comentário ao responder sobre como o banco vai se posicionar em relação ao pedido dos concorrentes da Odebrecht no leilão, pelo fim da exclusividade que a empresa mantém com agentes repassadores de recursos do BNDES."Essas cláusulas de exclusividade são contratos privados, não posso interferir", disse. Coutinho garantiu que o banco vai "direcionar a capacidade" para que, seja qual for o consórcio vencedor do leilão, que tenha acesso aos recursos da instituição.

JACQUELINE FARID, Agencia Estado

30 de outubro de 2007 | 14h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.