Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Coutinho: cinco bancos aderiram ao fundo garantidor do BNDES

Fundo poderá oferecer até 80% de cobertura do crédito, com teto de R$ 10 milhões por operação

Célia Froufe, da Agência Estado,

26 de agosto de 2009 | 14h07

O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, disse nesta quarta-feira, 26, que cinco bancos já aderiram ao fundo garantidor de crédito voltado para micro e pequenas empresas e cujo nome oficial é Fundo Garantidor de Investimentos (FGI).

 

De acordo com Coutinho, já mostraram interesse em participar do fundo Itaú Unibanco, Bradesco, Santander, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. No final do mês passado, Coutinho havia afirmado em São Paulo que os bancos comerciais ainda estavam conservadores para conceder financiamentos para as pequenas empresas apesar dos primeiros sinais de retomada da economia.

 

Ele lembrou que o FGI poderá oferecer até 80% de cobertura do crédito, com teto de R$ 10 milhões por operação. "Será um sistema absolutamente confiável e gerido profissionalmente. Cinco grandes instituições financeiras já aderiram ao fundo." O patrimônio inicial do FGI será de R$ 700 milhões e poderá ser alavancado em até 12 vezes, segundo Coutinho. "Temos um novo instrumento precioso sobre o qual depositamos grande confiança" defendeu.

 

O presidente do BNDES informou ainda que o governo garantiu a capitalização gradual do fundo. "Em dois anos, o FGI poderá disponibilizar até R$ 4 bilhões, ajudando a mitigar (o problema de) acesso ao crédito de pequenas empresas", afirmou, durante a cerimônia de posse da diretoria da Associação Brasileira de Instituições Financeiras de Desenvolvimento (ABDE).

Tudo o que sabemos sobre:
BNDESfundo garantidorbancos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.