Coutinho: crédito no País deve se normalizar este ano

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, disse hoje esperar que o crédito no Brasil se normalize em três meses, até o fim de dezembro. Ele explicou que no mundo esse processo deve demorar mais e depende da posse de um novo governo nos Estados Unidos, das medidas que serão tomadas naquele país e na Europa, e da ação dos bancos centrais no mundo. Coutinho lembrou que o governo brasileiro tomou medidas para a normalização do crédito à exportação do Brasil, anunciadas ontem. Ele afirmou também que até agora a demanda por crédito no BNDES está normal e não foi sentida nenhuma redução. "Não sabemos se a demanda por investimentos se manterá com tanta firmeza", disse. Ele lembrou que a política de desenvolvimento produtivo (PDP) projeta um aumento de 11% anual nos investimentos até 2010. Registrou também que a formação bruta de capital fixo (uma medida de investimentos produtivos) vem crescendo à taxa de cerca de 16%. "A economia rodou com firmeza até setembro", disse. Ele minimizou os anúncios de cancelamento de projetos de investimentos por empresas, dizendo que não é o cancelamento de um ou outro projeto que permitirá avaliar se houve redução de demanda por investimentos. O presidente do BNDES afirmou ainda que "não há nenhuma razão para a economia brasileira se deixar contaminar e desacelerar o seu crescimento (do Produto Interno Bruto) significativamente". Ele declarou que não há condições de dizer agora qual será a taxa de expansão da economia no ano que vem. "Não há motivo para jogar a toalha", enfatizou.

ADRIANA CHIARINI E MONICA CHIARELLI, Agencia Estado

07 Outubro 2008 | 21h12

Mais conteúdo sobre:
créditoBNDES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.