Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Coutinho defende ajuda a companhia com foco na infraestrutura

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, afirmou que o Brasil tem um "conjunto de empresas habilitadas e capacitadas para fazer frente ao desafio" de investir em infraestrutura, porém, é preciso dar suporte financeiro às companhias. "Elas precisam de reforço na estrutura de capital, porque a escala de desafios brasileiros é muito grande", afirmou, durante Seminário Diálogos da Competitividade, no Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (USP), na capital paulista. O tema do debate é Infraestrutura e Capital.

Carla Araújo, Agência Estado

28 de abril de 2014 | 15h09

De acordo com Coutinho, o Brasil sofre hoje por ter passado três décadas "sub-investindo em infraestrutura". Segundo o executivo, em um horizonte de 3 a 4 anos, a escala de desafios em infraestrutura demanda "algo em torno de R$ 550 bilhões". "Isso vai exigir um reforço na estrutura de capital das empresas." Ele destacou que esse processo já está em curso e que acredita que o mercado possa ajudar a resolver "a capitalização e a expansão dessas empresas".

Coutinho exaltou a decisão do governo federal em investir em Parcerias Público Privadas (PPPs) para acelerar investimentos em infraestrutura no Brasil. "Os investimentos (em infraestrutura) já estão em processo muito firme de aceleração. Acredito que o governo tomou caminho acertado de partir para PPP e concessões", disse.

Segundo o executivo, para que o País continue avançando é preciso investir em um maior planejamento. "Precisamos aperfeiçoar planejamentos de longo prazo e melhorar também o processo de tratamento da sustentabilidade ambiental", disse.

Coutinho destacou que é preciso criar fluxo de projetos "para dar sustentação a essa expansão". "Não existe novidade nesta agenda de aperfeiçoamento, ela é consenso", afirmou. De acordo com o presidente do BNDES, é preciso escolher de forma planejada em qual esfera cada projeto de infraestrutura pode ser melhor aproveitado. "Quando caímos em concessões ou PPPs, por exemplo, há uma agenda relevante para aperfeiçoar sistema de garantia", disse.

Segundo Coutinho, as garantias de um projeto não são apenas importantes para o financiamento bancário. "O sistema de garantia é muito relevante para o mercado de capitais", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.