Coutinho vê tendência de queda dos juros a longo prazo

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, afirmou hoje que a tendência é de queda da taxa básica de juros (Selic) nos próximos anos. Segundo ele, é preciso fazer a ressalva de que, no curto e médio prazos, precisa ser ressaltada a autonomia do Banco Central (BC) para administrar a política monetária, a fim de subir ou baixar juros de acordo com a evolução da inflação.

Ricardo Leopoldo, da Agência Estado,

27 de outubro de 2011 | 11h05

"A tendência de longo prazo é de queda da taxa de juros. Nós temos compromissos firmes de sustentar uma trajetória fiscal consistente, temos uma economia com grande potencial de crescimento e falta organizar condições para desenvolver o mercado de poupança privada de longo prazo", destacou ele, após participar de seminário realizado pela Febraban e pelo BNDES.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, vem enfatizando desde 29 de agosto que o governo vai entregar a meta cheia de superávit primário em 2011, 2012, 2013 e 2014. Ele já destacou que o maior empenho fiscal permitirá ao BC baixar os juros, de acordo com a avaliação técnica do Copom, se houver espaço para reduzi-los, caso a inflação esteja sobre controle e convergindo à meta de 4,5%.

Indexação

Durante o seminário, Coutinho também afirmou que o País precisa perseverar para o abandono da indexação dos contratos de Depósitos Interbancários (DI), assim como no avanço do mercado secundário de títulos e na agenda regulatória.

"Precisamos perseverar no caminho de abandono da indexação do DI, no avanço do mercado secundário de títulos privados e na agenda regulatória, muito importante para a emissão de papeis", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Luciano CoutinhoBNDESjuros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.