CPFL anuncia separação de ativos

A Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL) anunciou ontem a separação de seus ativos geração e distribuição de energia elétrica. A reestruturação estava prevista nos contratos de concessão assinados em 97 e faz parte do processo de reforma do setor elétrico brasileiro. Segundo a CPFL, seu capital será reduzido em R$ 119,652 milhões e essa parcela será incorporada por outra empresa, a CPFL Geração de Energia S.A. A nova empresa deverá ter capital aberto, com o registro concedido pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no prazo de até 120 dias após a assembléia de acionistas que aprovar a cisão parcial, marcada para o próximo dia 29. Os detentores de ações ordinárias e preferenciais da CPFL receberão igual número de papéis da empresa de geração. O diretor administrativo, financeiro e de relações investidores da CPFL, Otávio Carneiro de Rezende, afirmou que a nova companhia venderá toda sua produção para a própria CPFL. Ele disse que há estudos para a expansão da capacidade geradora, o que abre espaço para o fornecimento a outras distribuidoras. Segundo Rezende, o primeiro balanço operacional da geradora deverá ser divulgado em outubro, caso a assembléia de acionistas aprove a cisão. Analista diz que ações da CPFL não são atrativasPara o analista Osvaldo Teles Filho, da BBVA Corretora, as novas ações da CPFL Geração não são atrativas. Ele lembrou que, após uma oferta pública feita pela CPFL, o número de ações em circulação no mercado foi reduzido drasticamente, para cerca de 5% do total. Para o analista, a separação de ativos era esperada pelo mercado e não afeta em nada a companhia. Ele afirmou que o valor estipulado para incorporação da CPFL Geração de Energia, de R$ 119,652 milhões, trata-se apenas de uma questão contábil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.