CPFL deverá participar da licitação da usina de Jirau

O grupo CPFL deverá participar da licitação da segunda hidrelétrica no Rio Madeira, a de Jirau, que o governo pretende levar a leilão no ano que vem, disse o vice-presidente financeiro e de Relações com Investidores da CPFL Energia, José Antônio Filippo. Ele não informou se o consórcio manterá os mesmos sócios, integrado pelo grupo Camargo Corrêa (um dos controladores da CPFL), a Endesa e a Chesf. "Cada projeto é diferente e vamos começar do zero", disse Filippo, acrescentando que o consórcio já foi desfeito, pois só era válido para a disputa de Santo Antônio. Filippo considera, porém, que as negociações no grupo foram muito boas e nada impede que continuem juntos em outras disputas.Na avaliação do executivo, o fato de o consórcio liderado pela Odebrecht e pela estatal Furnas ter ganho a construção da hidrelétrica de Santo Antônio ontem não garante vantagens na disputa de Jirau. "Há o raciocínio de que serão menos agressivos, uma vez que já garantiram contratos volumosos", afirmou.Filippo espera que o governo acelere a licitação de Jirau (a previsão do governo é licitar no início de maio de 2008) para fazer com que as duas obras corram simultaneamente. Ele admite que se houver uma diferença superior a um ano entre os dois grandes empreendimentos, o consórcio Odebrecht/Furnas terá vantagens, já que poderá se beneficiar da infra-estrutura instalada para a usina de Santo Antônio também para a de Jirau. "O prazo e as definições do governo para a nova usina são fundamentais para atrair maior número de concorrentes'', afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.