CPI da Varig quer quebra de sigilo de acionistas da Volo

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a venda da Varig para a VarigLog na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) vai encaminhar ofício ao Banco Central, Receita Federal e empresas de telefonia sobre os três acionistas da Volo Brasil, empresa dona da VarigLog. A informação foi dada nesta quinta-feira, 26, pelo presidente da CPI, Paulo Ramos. Ele explicou que o objetivo é efetivar a quebra do sigilo bancário desses acionistas, o que já foi decidido dentro da CPI. Além disso, a CPI quer informações sobre declarações de renda e conversas telefônicas entre os executivos nos últimos anos. Os acionistas da Volo são Marco Antonio Audi, Eduardo Gallo e Marcos Hastel. Também serão solicitadas as mesmas informações sobre o executivo Lap-Chan, que é representante do Fundo Matlin Patterson, que também é acionista da Volo. Segundo Ramos, um dos objetivos é comprovar a origem dos recursos usados na compra da Varig pelos três acionistas da Volo. Nesta quinta, o ex-presidente da Varig Luiz Carlos Martins prestou depoimento na CPI onde deu informações gerais sobre o estado da empresa na época em que comandava a Varig.

Agencia Estado,

26 Abril 2007 | 14h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.