bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

CPqD demite 110 funcionários e reduz receita

O Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD), de Campinas (interior do Estado de São Paulo), demitiu 110 funcionários nos últimos 15 dias e reviu para baixo a receita projetada para este ano. O instituto, que emprega hoje 920 funcionários, estimava receita de R$ 200 milhões para 2002, valor reduzido em R$ 30 milhões pela direção.De acordo com o diretor administrativo do CPqD, Jorge Bertolino, novas demissões não estão descartadas. "De outubro do ano passado até meados deste ano contratamos 30 pessoas", diz Bertolino. "Porém, estamos operando no vermelho e tivemos de demitir para buscar o equilíbrio financeiro".As demissões fazem parte de um processo de reestruturação financeira iniciado há algumas semanas, que inclui ainda a renegociação de contratos e a diversificação dos negócios do instituto. "Se não houvesse as demissões, encerraríamos o ano com um prejuízo monstruoso", explica Bertolino.No ano passado, o CPqD registrou superávit de R$ 7,527 milhões, 72,2% abaixo do resultado de 2000. "A folha de pagamentos responde por 70% dos nossos gastos, de forma que foi inevitável demitir", reforça.Segundo Bertolino, as demissões atingiram os setores técnico, administrativo e gerencial.A preocupação do instituto, entretanto, é evitar a queda de produtividade e competência no atual quadro. "Sempre há perdas, mas estamos tentando ser seletivos", diz . O CPqD ainda não projetou valores de redução de gastos a partir das demissões. No início da semana, o presidente do instituto, Hélio Marcos Graciosa, afirmou que o CPqD deveria repetir o superávit de 2001 neste ano.O executivo comentou ainda que uma eventual retomada no mercado de telecomunicações, principal responsável pela queda da receita do CPqD, somente é esperada a partir de 2003.O CPqD foi criado em 1976, por decisão da Telebrás. Em julho de 98, com a privatização da Telebrás, o centro foi transformado em fundação de direito privado e passou a atuar como provedor de soluções tecnológicas no mercado.

Agencia Estado,

14 de junho de 2002 | 16h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.